Camarinha e um momento especial, disto ninguém duvida, mas e o que representaria este momento para um Pai ou Mãe de Santo?
Tanto eu como a Fátima, não fizemos camarinha de reforço depois de nossas coroações, apenas camarinhas normais dentro dos fundamentos de nossa casa, mas de uns anos para cá passamos a sentir a necessidade de fazer uma camarinha especial. Uma camarinha onde pudéssemos renovar nossas energias, nos aproximar mais ainda de nosso Orixás e mentores.
Um problema se apresentou dificultando isto, nossa Mãe de Santo se “aposentou”, e por conta de sua idade avançada e saúde precária, não teria condições de conduzir este ritual. Tínhamos de encontrar alguém com experiência e em quem confiássemos para fazer isto por nós.
A procura foi por quase dois anos, mas como sempre digo: “Uma coisa que a Umbanda sempre me proporcionou foi a de conhecer pessoas maravilhosas, pessoas boas, pessoas e bem”, e foi assim que novamente aconteceu.
Durante os preparativos das comemorações dos 100 anos da Umbanda, nos aproximamos do Pai André, do Terreiro do Tio Antonio. Com o passar do tempo esta convivência aumentou, bem como o respeito, a afinidade e a admiração mutua, e sendo assim o convidamos para conduzir nossa camarinha de reforço, e foi com muita alegria que recebemos seu sim.
Portanto escrevo este texto apenas para agradecer para dizer “OBRIGADO” Pai André, como me disse uma pessoa, foi a melhor escolha que vocês fizeram.