Neste momento em que estamos prestes a decidir o futuro político de nossa nação, tenho me feito esta pergunta.

Vejo alguns ditos Umbandistas fazendo campanhas “em defesa da Umbanda”, contra os evangélicos, se dizendo defensores de nossa fé, etc.

Tenho uma posição clara quanto a isto:

Todas as categorias e todos os segmentos da sociedade deveriam ter representantes na política, mas não apenas para defenderem seus interesses, lutarem contra os outros grupos que pensam diferente, estes políticos devem sim estarem envolvidos numa busca constante na melhoria do bem comum.

Um candidato Umbandista não deveria se preocupar em lutar contra os “benefícios dos evangélicos”, deveria preocupar-se sim com benefícios que possa trazer aos umbandistas e também a comunidade em geral.

Deveria por exemplo combater a cobrança absurda e inconstitucional de taxas para se fazer um trabalho em homenagem a Iemanjá que algumas cidades e federações fazem, isto só para dar um exemplo.

Aqui no Paraná foi proibido pelo IBAMA, trabalhos nas matas e cachoeiras, claro que por culpa dos próprios “umbandistas” que a única coisa que faziam nestes locais era sujeira, mas ai um representante de nossa religião, poderia investir numa parceria com o órgão, determinar um local especifico para isto, com fiscalização e um constante trabalho de educação ambiental.

Quando resolvemos fazer um evento para comemorar os 100 anos da Umbanda aqui em Curitiba, tivemos de pedir “favores” a alguns políticos, que nos atenderam por uma questão de amizade, uma vez que segundo ouvimos umbanda não da voto. È um segmento desunido.

De certa forma eles tem razão, pois quando temos candidatos que dizem representar nossa comunidade, estes não tem um projeto voltado para a religião e nem para a sociedade, a única bandeira que tenho visto e a tal “Luta contra a Intolerância”, e como eu disse não apoio, pois não quero ser tolerado, quero ser respeitado.

Adoraria votar num candidato Umbandista, mas não votaria em alguém apenas por ele ser Umbandista.

Estas eleições estão ai, batendo a nossa porta, pensemos bem no que fazer, mas pensemos bem nas eleições em 2012, que tal começarmos a pensar em candidatos Umbandistas em nossas cidades como vereadores? Para que eleitos, possamos cobrar deles coisas como legalização dos terreiros, ações sociais, exigir deles leis que venham a ajudar na busca do bem comum, e principalmente que dêem o exemplo de não serem representantes apenas da Umbanda, mas sim que representem o povo.